Perdão – o início de tudo

Perdão

"A mais alta das vitórias é o perdão."

(Friedrich Von Schiller, poeta e dramaturgo alemão, 1759-1805 - extraída do livro Pequeno Manual de Inteligência Emocional – Frases que podem mudar um destino – José Ronaldo Peyroton, Organizador, Editora United Press Ltda, 1998, pg 8).

Reflexão

Que dureza!

Essa é uma das coisas mais difíceis e mais importantes para se viver bem: perdoar.

O apóstolo Pedro chegou até a perguntar a Jesus: quantas vezes devo perdoar?

Setenta vezes sete, foi a resposta.

E se você é um bom entendedor já percebeu que não se trata de quatrocentas e noventa vezes. Mas de infinitas vezes.

E no contexto eles estavam falando de um mesmo ofensor.

 

Ofensor e Ofendido

A falta do perdão não afeta tanto o ofensor como o ofendido.

Este, o ofendido, é quem carrega em si mesmo o peso da amargura, da raiva, e de outras emoções que destroem os bons neurônios, que entoxicam todo o ser, o corpo, a mente e o espírito.

O perdão liberta muito mais o ofendido do que o ofensor. Quando você exerce o hábito de perdoar sua vida fica mais livre, mais leve e mais solta.

Sobra energia pro resto todo que é muito bom.

 

Esquecer?

Em nossa opinião perdoar não é esquecer, nem ficar de beijinhos com o ofensor.

Às vezes não dá nem mais pra conviver com a pessoa. Mas você pode ficar livre e viver livremente.

Mas o sentido de perdoar é não levar em consideração. Não colocar na balança. Não significa esquecer.

Quando Jesus proferiu as palavras “Pai, perdoa-lhes pois não sabem o que fazem”, Ele nos mostrou um caminho para lidar com a ofensa.

Esse caminho começa por reconhecer a possibilidade real do ofensor de saber exatamente o que está fazendo, ou de não ter a mínima noção do que faz.

Quem és tú, óh coreolano?

Agora, de quem Jesus estava falando?

Dos judeus, como alguns grupos na história entenderam e em vez de perdoar perseguiram os judeus?

Dos romanos, como outros grupos que até hoje excomungam esse povo?

Dos discípulos que fugiram de medo e covardia diante de tão assustadora opressão?

De todos os que se dizem cristãos, seguidores de Cristo, que pela sua fé creem que seus pecados é que levaram Jesus à cruz?

Que tal pensarmos que todos nós fazemos parte do “lhes” da frase de Jesus?

Esse ponto de partida nos nivela. Por baixo, é verdade. Mas é uma realidade.

Então se somos tão escória como qualquer outro, o perdão deveria ser uma mutualidade entre esses “escorianos” ou “escoriados”.

O Caminho

 

Jesus ensinou que o primeiro passo pra quem quer ser Seu seguidor é o perdão. Quem não consegue perdoar não passa da primeira aula, não sobe nenhum degrau, não caminha, não se liberta, não vive.

Embora pareça ser um passo “pra baixo”, de reconhecimento de miséria própria, de fato é um passo de vitória.

Um grande passo de vitória.

De fato perdoar é a maior vitória.

Essa vitória é tremendamente libertadora e propiciadora de novas vitórias.

Um dia a dia de perdão é um dia a dia de vitórias.

Que tal ser um vitorioso?

Perdão na cruz

Além disso quando você se cadastrar abaixo, terá acesso a livros digitais também gratuitos.

Receba nossa correspondência com as novidades da nossa blogosfera. São muitas alternativas para todos os gostos.

Alimentação Saudável

Emagrecer Consciente

Corpo Modelado

Posicionamento Profissional

Desenvolvimento Pessoal

Dinheiro, Investimentos e Finanças

Espiritualidade

Arte

Crônicas da Vida

Rupturas da Vida

Verifique essas alternativas todas conforme seu gosto. É só clicar!

Cadastre-se e curta!

Por hoje é só!

Um Excelente viver pra você!!

Marcus e Mel

MVE Produções

P.S.:

Gostou?

Compartilhe este artigo com seus amigos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *